FIEP Brasil

Notícias

Traduzir   Contraste   A+

Importância da Ergonomia para a Educação Física

(Publicado em 12 de agosto de 2011)

Define-se ERGONOMIA com o conjunto dos conhecimentos científicos relativos ao homem e necessários à concepção de instrumentos, máquinas, dispositivo e ambiente que possam ser utilizados com o máximo de conforto, segurança e eficiência no seu posto de trabalho, envolvendo a aplicação dos conhecimentos de anatomia, fisiologia, psicologia, biomecânica e antropometria na solução surgida neste relacionamento. Pausas para descanso, horas extras, turno de trabalho, rodízios de tarefas, vibrações, cores, umidade, temperatura, ruídos, luminosidade, repetição de movimentos, sexo e idade etc, tornam-se variáveis importantes para o sucesso de qualquer programa de atividade física na empresa.

No Brasil, o Ministério do Trabalho (MTb) baixou a Portaria n. 3.751 em 23/11/1990 que instituiu a Norma Regulamentadora – NR-17 que trata especificamente da ergonomia. Esta norma visa estabelecer parâmetros que permitam a adaptação das condições de trabalho às características psicofisiológicas dos operadores, de modo a proporcionar um máximo de conforto, segurança e desempenho eficiente. É importante salientar, que com esta norma se desperta no meio empresarial brasileiro o interesse pela Ergonomia

A base dos estudos em ergonomia está no conhecimento das atividades humanas no trabalho, obtido a partir da metodologia da análise ergonômica do trabalho – AET. Considerando os conhecimentos científicos sobre o homem em atividade de trabalho, como um sistema de transformação de energia e como um sistema de recepção e tratamento de informação, pode-se analisar e diagnosticar as disfunções ergonômicas existentes nos diversos sistemas de produção propondo recomendações que possam contribuir para a melhoria das condições de trabalho e do aumento de produtividade.

A importância deste conhecimento se deve ao fato de haver hoje uma consciência de que só se alcança os níveis desejáveis de produtividade e confiabilidade no trabalho se considerarmos o elemento humano como o foco de nossas atenções. Isto porque neste ponto repousam nossas chances de informações sobre melhorias possíveis, mas também em caso de disfunções, de riscos e comprometimento de todo um sistema de produção, bem como da saúde e da segurança do homem no trabalho.

Neste sentido conhecimentos ligados à ergonomia são necessários para o profissional da área de educação física desenvolver suas atividades dentro das empresas, nas escolas, nas instituições de longa permanência e nas atividades da vida diária, com crianças, adultos, idosos, gestantes e deficientes sejam eles temporários ou permanentes, com saúde, conforto, segurança e eficácia.