FIEP Brasil

Notícias

Traduzir   Contraste   A+

O Trabalho Noturno e sua Influência na Saúde e Produtividade

(Publicado em 4 de outubro de 2011)

O Trabalho Noturno e sua Influência na Saúde e Produtividade

Fonte: http://roncoeapneiadosono.blogspot.com/2010_03_01_archive.html

O ser humano, em seu cotidiano, desenvolve atividades que representam a sua expressão de trabalho. Em determinadas situações (ou condições), esse trabalho pode representar satisfação para alguns e sacrifício para outros; enfim, são os condicionantes que envolvem o mercado de trabalho. Com a alta competitividade atual, em um mercado cada vez mais exigente, nota-se uma constante busca das organizações, pela maior produtividade com níveis elevados de exigências.

Nesta constante procura pela produtividade com qualidade, as organizações procuram melhorar os níveis de escolaridades de seus trabalhadores, muitas vezes estabelecendo metas para que o ensino fundamental e o médio sejam concluídos. É neste contexto que os trabalhadores noturnos ficam expostos a uma grande carga física, cognitiva e psíquica, pois, além do desgaste do trabalho submetem-se as exigências que a vida escolar impõe. Toda essa dupla jornada em atividades, somadas ao tempo de locomoção, entre outros, acaba por comprometer o período de sono, que por sua vez prejudicam o seu rendimento escolar, contribuindo para o absenteísmo, a evasão e a reprovação escolar.

Vários estudos salientam o efeito nocivo para a saúde dos trabalhadores, causado pela falta de sono e sua influência no desempenho cognitivo dos indivíduos. Todo ser humano, merece ter uma vida saudável, com saúde física, social, emocional, intelectual e ocupacional, dormindo no mínimo 8 horas por sono, vindo ao encontro da matéria exibida na globo news, disponível no link: http://youtu.be/vm8btdyw88g. Portanto, as condições relativas ao ambiente de trabalho constituem-se num fator importantíssimo para a preservação da sua saúde e bem-estar.

A espécie humana é tipicamente capacitada para executar atividades diurnas. Seus corticosteróides adrenais, em conjunto de suas funções, deixam o organismo preparado para a vigília e a interação com o seu meio ambiente, com seus picos máximos de secreção hormonal depois da noite de sono. A insulina, da mesma maneira, mas em maior quantidade, age de forma mais intensa pela manhã e no início da tarde, quando as necessidades energéticas são mais intensas.

Os hábitos (ritmos) diários de vida, acabam por constituir o que se conhece por ciclo circadiano, também chamado de relógio biológico. Por este instrumento adaptativo é que o organismo humano faz o seu controle fisiológico. Portanto, todas as funções fisiológicas do SER humano, sejam elas de caráter mental ou físico, sofrem influência direta da alternância entre o estado de vigília e as horas de repouso (sono). Disso decorre problemas, como perda do estado de humor, irritação e ansiedade, quase sempre, ocasionados pela fadiga e cansaço excessivo.

A falta de sono produz um tipo diferente de fadiga, que é primeiramente mental, causando no individuo dificuldade em manter a atenção e a concentração, onde pessoas que não conseguem dormir ficam cansadas e perdem a capacidade de memorizar e possuem níveis elevados do hormônio cortisol. Uma das disciplinas que mais os alunos tem dificuldade, são as de raciocínio lógico, dando maior ênfase na disciplina de matemática, e na ultima aula, os professores tem que,mudar o ritmo, ministrando aulas alternativas, ou seja aulas mais prática do que teórica, tendo em vista a grande queixa de sono e cansaço. Neste contexto, a incapacidade de manter a qualidade e quantidade adequada de sono, após uma jornada de trabalho no turno, implica numa sonolência excessiva e um déficit de atenção durante o trabalho e fora dele.

Barril da Fadiga no Trabalho

Barril da Fadiga no Trabalho

É importante alertar as organizações do trabalho, para que o barril da fadiga esteja sempre em equilíbrio, ou seja, o influxo e o refluxo deverão estar sempre em homeostase, para que assim a os mecanismos de recuperação estejam preservados evitando o adoecimento, contribuindo na manutenção da saúde e a eficiência dos trabalhadores

Com o envelhecimento a geração de resposta imunológicas no momento certo é menos eficiente, podendo ocorrer disfunções do sistema imune que caracterizam-se por variações fisiopatológicas como imunodeficiência e hipersensibilidade. O que pode agravar se o individuo estiver exposto a trabalhos em ambientes desfavoráveis para sua saúde, onde a presença do medo e fadiga ocasionados por ambientes inadequados, colocam em risco a saúde do trabalhador, deixando-o com sentimento de impotência, não encontrando em seu trabalho, um significado importante para sua família e sociedade.

Todo o ser humano tem sua própria carga genética, com respostas diferentes de trabalhador para trabalhador, assim, o organismo humano obedece a ritmos biológicos, dos quais os mais conhecidos são os ritmos menstruais das mulheres e os ritmos circadianos. Estes últimos se manifestam em estados funcionais variáveis segundo as horas do dia, como secreções, sensibilidade a medicamentos e capacidade de memória, mostrando que o mesmo homem ou a mesma mulher que executam o trabalho são diferentes. Assim a prática dos conhecimentos da ergonomia no ambiente de trabalho permitirá melhorar a segurança, diminuir a carga de trabalho, reduzir o absenteísmo, melhorar a produção em qualidade ou em quantidade, aumentando a satisfação, e qualidade de vida do trabalhador. Neste sentido estes conhecimentos são de fundamental importância para o sucesso de qualquer programa de ginástica laboral.