FIEP Brasil

Notícias

Traduzir   Contraste   A+

Os Mega Eventos Esportivos no Brasil

(Publicado em 26 de agosto de 2011)

A coluna SAUDE PELA PRÁTICA volta, hoje, na sua segunda veiculação, dentro do seu propósito de ser livre a sua temática de abordagem, pois, nós, na qualidade de Profissional de Educação Física e jornalista, queremos ser colaborador com uma participação “pluri”, com enfoques pontuais, assim como também podendo avançar com sugestões, elogios e críticas da estrutura da Educação Física, Esporte, gestão, legislação, e comunicação.

O assunto é “Os mega eventos esportivos no Brasil”.

Alô amigos, daí, como estão recebendo as colunas deste SITE? Lembramos que a nossa coluna é livre, pois podem interagir enviando sugestões e críticas: clery@via-rs.net e temos também o blog: www.saudepelapratica.blogspot.com ou ainda o telefone 55 99719391.

O assunto desta segunda coluna fala dos mega eventos esportivos que estão/serão realizados no Brasil. Isso parece incontestável que servem para muitos debates e a sua concretização dará crescimento ao esporte brasileiro, na sua extensão maior.

Jogos Mundiais Militares acontecidos no Rio, no mês de julho último, pela pouca divulgação que teve, praticamente pelos órgãos oficiais, foram bons. Em termos de resultado também, pois teve o Brasil no topo, com 114 medalhas, seguido da China, com 99; Italia, com 51; Polônia, com 43 e França, com17, isso dos 52 países que fizeram medalhas (este quadro tirado do site oficial dos Jogos foi por medalhistas e não contagem de medalhas por esporte). Na competição, as Forças Armadas do Brasil contrataram vários atletas olímpicos, praticamente em todas as modalidades, exceto aqueles esportes tradicionais de prática dos militares.

Além da Copa do Mundo de Futebol (Copa das Nações, 2013 e Copa do Mundo, 2014) e a Olimpíada Rio 2016, teremos vários mundiais de modalidades esportivas, aliás acontecem normalmente em países que sediam Olimpíadas, pois até servem para ensaio da infra-estrutura e preparação das equipes dos países.

Vamos nos deter nestes dois eventos, pois são os maiores e que exigem uma super infra-estrutura pelos seus órgãos máximos: Federação Internacional de Futebol Associados- FIFA e Comitê Olímpico Internacional – COI, respectivamente e mais as federações internacionais que coordenam as modalidades e os países participantes. A exemplo na Olimpíada participam 205 nações filiadas ao COI.

Num paralelo, a Olimpíada que será em 2016 e o Futebol já em 2013/2014, pode se dizer que o Rio com a Olimpíada já apresenta uma melhor situação no aspecto físico ( estrutura, pois vem de um Jogos Panamericanos Desportivos de 2007) do que o futebol, que tem a necessidade da melhoria da infra-estrutura das vias arteriais e tráfego urbano para a realização dos jogos em 12 cidades brasileiras e muitos estádios estão ainda na base e junto a isso, a precária situação de nossos aeroportos e acessos aos locais dos jogos.

E neste clima de espera, tem-se a máquina administrativa, quer a pública ou mesmo a privada. A pública tranca a liberação de verbas, pois passa por vários setores e entra aí os interesses políticos ( será só esse?) e a privada e suas extensões, aí sim interesses econômicos.

Não temos dúvidas que a Copa do Mundo de Futebol e a Olimpíada serão exitosas. Pois se não temos “Know-how” – conhecimento – local, busca-se, pois o dinheiro cobre tudo. No entanto o que preocupa é os desvios de verbas, que ficaram patentes na última grande competição no país, o PAN. Então a questão é controle social mesmo, barrar a gatunagem, montar uma estrutura contra roubo. Se tivermos essa capacidade, poderemos afirmar que esses Megas Eventos Esportivos são bons para a comunidade. Precisamos de uma fiscalização eficiente para que possamos desfrutar com os legados que ficarão para a comunidade.

Amigos, com esse tema os Megas Eventos Esportivos está aberta a discussão, acolhemos suas opiniões – podem enviar-nos – para futuras abordagem nesta coluna.

Despedimo-nos desejando aos leitores – de nossa área – que o florido da Primavera exale os melhores aromas que venham ser fontes de ânimo e vontade para estarmos sempre prontos a realizarmos as nossas atividades onde estejamos, com amor, dedicação, paz, seriedade, atitude e qualidade, pois a nossa responsabilidade é muito grande junto à sociedade.